Robô Livre faz exposição de Robótica na Expoidea

 


Nossa ideia do que seja um robô é geralmente romanceada. Pensamos na tecnologia nonsense do desenho animado dos Jetsons; pensamos em máquinas que emulam nossos sentimentos (até para nos fazer pensar o que seja um “sentimento” propriamente dito); ou mesmo num inimigo com poderes impensáveis ao homem comum, como teima a ficção-científica de rastro B.

Robôs costumam ser nossas projeções de algum futuro, muitas vezes inalcançável, de um futuro que paradoxalmente já passou.

O futuro do passado.

 

Em geral, imaginamos robôs apenas como humanoides, máquinas que imitam as formas do corpo do homem. No entanto, romantismos à parte,  os robôs fazem mais parte do nosso cotidiano do que pensamos. “O que seria uma máquina de lavar, além de nossa versão caseira da empregada dos Jetsons?”, questiona Henrique Foresti, que divide a sociedade da empresa Robô Livre com Rodrigo Medeiros.

Mais do que uma empresa, a Robô Livre é uma proposta pedagógica de aproximar o universo da robótica do público. “Queremos desmistificar a ideia que as pessoas fazem dessas máquinas, como algo inalcançável e complicado”, explicou Foresti. Graças a investimentos de instituições como a Facepe e o CNPQ, a dupla oferece cursos de robótica para escolas públicas e também vende, para a rede particular, propostas de ensino na área. “Jovens de escolas públicas e privadas aprendem da mesma forma que os robôs fazem parte do nosso universo”, completa.

Segundo Foresti, uma preocupação constante é lembrar que os robôs não são apenas exclusividade da área de interesse da engenharia. Também das ciências humanas. A palavra tem origem tcheca e significa “trabalho forçado”.

O seu primeiro uso foi no teatro, na montagem Robôs Universais de Rossum, de Karel Capek, em 1921. “Se os artistas não tivessem criado suas visões do futuro primeiro, como a tecnologia teria feito? Por exemplo, o desenho Jetsons já contava com algo parecido como os nossos aparelhos de telefone celular”, continua Foresti.

A Robô Livre participa da segunda edição da Expoidea em várias frentes.

EXPOSIÇÃO DE ROBÓTICA

Uma delas é uma exposição de robótica, além de um espaço onde o público poderá interagir com as máquinas. “Haverá uma palestra no dia 11, às 19, onde apresentaremos a plataforma robolivre.org, conversaremos sobre transformação social através da inclusão tecnológica, sistemas de inovação entre outras coisas. Isso sem falar na oficina que acontecerá no dia 12 de maio, das 10h às 19h. Nela, os praticantes construirão um robô que ficará exposto ao final do evento”.

Quem quiser saber mais sobre o trabalho da Robô Livre pode conferir este vídeo em que um aluno fala do processo de aprendizagem oferecido pela empresa:


Artigo de Schneider Carpeggiani
jornalista e Crítico Literário

Arquivo por mês

Comentários estão fechados.